GRCS

08/10/2014

Agrônomos discutem soluções para poda de árvores em S. Paulo

Uma comissão de engenheiros agrônomos da Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP) será recebida pelo vereador Andrea Matarazzo (PSDB) para discutir o Projeto de Lei 166/14, que “permite a contratação pelo Poder Público de serviço de elaboração de laudo técnico para poda de vegetação de porte arbóreo, e dá providências correIatas”. Na manhã desta quarta-feira (8/10), os agrônomos se reuniram na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), para discutir o PL.

 

Foto: Imprensa SEESP
agronomos reunidos
Agrônomos se reuniram na sede do SEESP na manhã desta quarta (8/10)


O problema do acúmulo de solicitações para a poda de árvores na cidade é antigo. E, de acordo com os servidores, não é só por falta de pessoal técnico.  As solicitações – vistoria técnica, termo utilizado no município - acabam se acumulando nos diversos órgãos responsáveis e, depois, nas mesas dos subprefeitos que ainda precisam autorizar esse tipo de serviços. Além disso, o Sistema de Gestão de Árvores Urbanas (Sisgau), implantado desde 2009, ainda está em fase inicial e requer aprimoramento. O Sisgau faz um fichamento a partir de um georreferenciamento dos espécimes arbóreos.

De acordo com o vereador Andrea Matarazzo (PSDB), um dos autores do PL, a proposta visa criar um cadastro de engenheiros autônomos para que a Prefeitura possa contratar, se necessário. Ainda de acordo com o parlamentar, a idéia é que esses terceirizados façam um laudo inicial e que eles passem para a análise dos agrônomos da prefeitura. “O objetivo é justamente permitir que quando tiver problema de acúmulo a subprefeitura possa chamar agrônomos de fora para ir ao local. Mas o serviço deles serão submetidos à avaliação de um servidor público experiente”, explica o vereador.

Para o agrônomo Luiz Carlos Zelezoglo, do Ipiranga, será um trabalho a mais. “Eu vou ter parar para avaliar o laudo feito por esse engenheiro terceirizado. Então, teremos que fazer esse trabalho da fiscalização também e demanda mais um tempo”, explica.

Durante a reunião, que ainda não tem data marcada, os agrônomos têm a expectativa de levar um estudo detalhado sobre o fluxograma de trabalho e apontar medidas eficazes para agilizar o atendimento à população. Andrea Matarazzo afirma que o PL está em fase de elaboração e que "está aberto a contribuições dos engenheiros da prefeitura".

Atualmente, as reclamações e solicitações podem ser feitas pela internet, na pagina da prefeitura , nas praças de atendimento das 31 subprefeituras ou pelo telefone 156. De acordo com os engenheiros, o tempo de espera para uma simples poda de árvore pode ultrapassar um ano.


Deborah Moreira
Imprensa SEESP





Lido 3104 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda