GRCS

04/11/2013

Das 10 melhores rodovias do Brasil, nove são paulistas e concedidas

O motorista que parte de São Paulo em direção a Limeira viaja pela melhor rodovia do Brasil, a Bandeirantes (SP-348), segundo pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Entre as 10 melhores, outras oito rodovias do Estado de São Paulo também estão em ótimas condições. O levantamento, divulgado hoje, revela que das 10 melhores rodovias do Brasil, nove são paulistas e fazem parte do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo, fiscalizado e gerenciado pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Na segunda posição do ranking está outra via do Programa de Concessão Paulista, a SP-330 (Anhanguera), no trecho entre São Paulo e Uberaba (MG). Em terceiro lugar mais uma rodovia paulista concedida: a ligação entre Campinas e Jacareí, Rodovia D. Pedro I (SP-65).  

O estudo CNT/2013 mostra outro dado bastante importante em consideração à boa qualidade das rodovias. As vias em bom estado – com ótima condição de pavimento – melhoram o rendimento dos veículos baixando o consumo de combustível, de lubrificantes, de pneus e de freios. “O acréscimo médio do custo operacional devido às condições do pavimento das rodovias brasileiras é de 25%”, aponta a pesquisa. Situação bem diferente vivida pelos motoristas em São Paulo, que utilizam pistas em excelente qualidade e têm economia de dinheiro e desgaste menor do veículo, além de contribuir para a melhoria do meio ambiente.

Se o pavimento de todas as rodovias tivesse classificação boa ou ótima, em 2013, seria possível, destaca o levantamento CNT, uma economia de até 5% no consumo de combustível, o que representa 661 milhões de litros de óleo diesel (R$ 1,39 bilhão) e uma redução da emissão de 1,77 megatonelada de gás carbônico, principal gás do efeito estufa. Situação inversa encontrada nas rodovias sob concessão de São Paulo, onde o usuário trafega em pistas com ótimas condições. O estudo revela ainda que 93,7% do pavimento da malha concedida paulista é ótimo ou bom, sem nenhum trecho considerado péssimo.

Ainda de acordo com o levantamento, 82,2% das rodovias concedidas paulistas são consideradas ótimas e boas. Em comparação com a malha nacional pesquisada (96.714 quilômetros de rodovias) apenas 36,2% são consideradas ótima e boa. Na outra ponta da tabela, somente 6,2% das vias no Estado de São Paulo são consideradas ruim/péssima, ante 29,4% das rodovias no restante do País.

De todas as unidades da Federação, São Paulo é o Estado que tem o maior porcentual de malha rodoviária avaliada como ótima, com 57,3%, seguido do Rio de Janeiro (34,5%) e Santa Catarina (22,5%).  

A 17ª edição da pesquisa avaliou mais de 96.714 quilômetros de estradas em todo o país. No Estado de São Paulo, o levantamento foi feito em 8.802 quilômetros, abrangendo rodovias concedidas e públicas, estaduais e federais. Foram levados em conta aspectos do pavimento, sinalização e geometria da via. A partir dessas características, foi possível obter a classificação do estado geral.


Fonte: Artesp





 

Lido 1916 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda