logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 69

30/04/2013

Pesquisadores analisam condições de trabalho no Brasil e no mundo

Há exatos 127 anos, em 1º de maio de 1886, trabalhadores americanos da cidade de Chicago organizavam uma greve geral contra as condições desumanas de trabalho. Mas o conflito com a polícia durante quatro dias deixou dezenas de mortos e feridos. A data passou a ser considerada um marco da luta de trabalhadores e foi adotada em todo o mundo como o Dia do Trabalho. Vários títulos da EdUFSCar (Editora da Universidade Federal de São Carlos) abordam as condições de trabalho no Brasil e no mundo.

Inspirado nos últimos seminários de Michel Foucault, da década de 1970, e nas teorias de Gilles Deleuze e Félix Guattari, o filósofo italiano Maurizio Lazzarato busca em “O governo das desigualdades: crítica da insegurança neoliberal” (93 páginas, R$ 25,00) acompanhar os novos mecanismos de poder vigentes no contexto neoliberal. Mas não o faz apenas teoricamente. Parte da luta concreta dos trabalhadores intermitentes no setor de espetáculos, que até então gozavam de proteção social condizente com o caráter descontínuo de sua atividade. A partir do estudo dessa categoria aparentemente secundária, revela uma tendência crescente do próprio trabalho no capitalismo atual: a não distinção entre tempo de trabalho e tempo de lazer, a alternância entre trabalho e não trabalho, a precarização do emprego, o lugar da invenção e da criatividade, dentre outros aspectos.

Em “Operários sem patrão” (171 páginas, R$ 21,25), a socióloga Lorena Holzmann relata a transferência de comando de uma empresa capitalista para o cooperativismo. O objeto de estudo é a indústria Wallig, do Rio Grande do Sul, que vivenciou um declínio nos anos de 1981 a 1983. Para evitar o fechamento, os trabalhadores formaram duas cooperativas, uma de fundição e outra de mecânica, e alugaram as instalações da massa falida para prosseguir as operações da antiga empresa. A apresentação do livro foi escrita por Paul Singer.

Organizada por José Roberto Novares e Francisco Alves, a obra “Migrantes: trabalho e trabalhadores no Complexo Agroindustrial canavieiro” (314 páginas, R$ 35,00) traz uma pluralidade de abordagens sem a pretensão de apresentar um esquema explicativo único e fechado. Este livro tem uma unidade: o entendimento de que o trabalho e o debate acerca de suas condições atuais e perspectivas futuras continuam tendo centralidade para a compreensão de toda a dinâmica social neste século que se inicia.

Já “Velhos trabalhos, novos dias: modos atuais de inserções de antigas atividades laboriais” (402 páginas, R$ 30,00), organizado por Izabel Cristina Ferreira Borsoi e Rosemeire Aparecida Sopinho, aborda o Brasil pelo trabalho a partir dos contrates e diversidades presentes no cotidiano dos trabalhadores brasileiros. Potencializados através de pesquisadores com as mais diversas formações e seus comprometimentos com suas realidades locais e regionais, esta obra também traz em seus capítulos as formas de assalariamento e a construção de relações autogestionárias, que também fazem o leitor pensar sobre as possibilidades e os limites de levarmos em conta, efetivamente, as pessoas no trabalho.

Publicada originalmente na Finlândia, “Índice de capacidade para o trabalho” (59 páginas, R$ 16,00), de autoria de Kaija Toumi, Juhani Ilmarinen, Antii Jahkola, Lea Katajarinne e Arto Tulkko, se configura como um instrumento utilizado em Serviços de Saúde Ocupacional e áreas afins. Pode ser utilizado, junto com exames clínicos de saúde, como um dos métodos de avaliação do próprio trabalhador ou trabalhadora sobre sua capacidade para o trabalho. Podendo ser aplicado desde o ingresso na força de trabalho, o ICT tem prognosticado, de forma confiável, mudanças na capacidade para o trabalho em diferentes grupos ocupacionais. Mostrou-se significativo para o Brasil em razão do acelerado envelhecimento da população e das consequências negativas observadas tanto na inserção quanto na manutenção e nas condições de saúde dos brasileiros com mais de 30 anos.


Imprensa – SEESP
Fonte: UFSCar




Lido 12050 vezes

Comentários   

# AgradecimentoMari 30-04-2013 11:31
:D

Adorei esta matéria, as indicações de livros são ótimas, parabéns a todos que compoêm a área!

Bjks

Mari
Responder

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda