GRCS

23/01/2013

Aumento do desemprego afetará demanda judicial

JustiadentroMais de 500 mil pessoas desempregados nos próximos dois anos no Brasil. Essa é a previsão da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que divulgou na segunda-feira (21/1), em Genebra, estimativas para o mundo nos próximos cinco anos. Pelas previsões da Organização, a crise, que acometeu os países ricos, vai afetar as economias emergentes. De 2011 a 2014, segundo a entidade, o Brasil terá aumentado em um milhão o número de desempregados.

A previsão tem como base uma avaliação da América Latina que constata que o crescimento das economias não será suficiente para absorver a mão de obra até o ano de 2017. Entre os fenômenos que ocorrerão nesses países, segundo a OIT, estão a desaceleração do comércio global e a queda no preço das commodities com impacto imediato no mercado de trabalho. Mas o grande desafio para o Brasil na visão da OIT para a redução da pobreza é a baixa produtividade, bem abaixo da média internacional.

Para o presidente da Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho), juiz Renato Henry Sant´Anna, caso a previsão se efetive, a Justiça do Trabalho experimentará um aumento na demanda judicial. É fato que quanto maior o número de desempregados, maior o número de reclamantes, ressalta. O magistrado alerta também para o fato de, em tempos de crise, a classe trabalhadora se vê frente a ofertas de trabalho precárias e que não levam em conta os direitos trabalhistas.

“A atuação da Anamatra contra a flexibilização das leis trabalhistas é histórica. Estando ou não a economia em situação favorável, os direitos trabalhistas não podem ser ceifados em detrimento de uma preocupação eminentemente mercadológica. Não é esse o desenvolvimento que nosso país deve buscar”, defende Sant´Anna.

 

Imprensa – SEESP
Informação da Assessoria da Anamatra



Lido 2767 vezes

Comentários   

# EngenheiroFernando Mancini Vil 24-01-2013 09:36
Num ambiente de quase pleno emprego e com a população entrando em fase de bônus demográfico e se beneficiando do esforço de melhoria da qualidade da instrução formal mediante exames em larga escala e extinção dos cursos de má qualidade, fica difícil perceber a propriedade desse tipo de mensagem. Mais fácil é levar em consideração a alteração dos preços relativos pela diminuição do custo da energia elétrica que já está em prática. "De 2011 a 2014, segundo a entidade, o Brasil terá aumentado em um milhão o número de desempregados." Creio que essa entidade não tem condições de fazer uma afirmativa como essa.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda