GRCS

03/09/2012

A campanha vitoriosa dos trabalhadores da SPTrans

Desde a primeira rodada de negociação do acordo coletivo deste ano dos funcionários da SPTrans, a capacidade de articulação dos sindicatos e a proposta de condução do movimento e das assembleias unificadas, criaram um clima de mobilização na empresa considerado pelos dirigentes sindicais positivo. Com o apoio do trabalhador, foi possível inverter a lógica que se estabeleceu já na primeira mesa de negociação, onde a SPTrans definiu como premissa principal as regras e possibilidades fixadas pela Sempla (Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão) e se negava a discutir a reivindicação da categoria por ganho real. Uma empresa do porte, importância e complexidade dos trabalhos desenvolvidos pelos empregados não poderia se subordinar às regras de outra secretaria.

Reverter esse quadro, só foi possível graças à unidade dos sindicatos e dos trabalhadores e à capacidade de mobilização que forçou a empresa e, principalmente, a Secretaria Municipal a examinarem os critérios para aliviar o endurecimento das negociações, inclusive com a possibilidade em ir para dissídio.

O acordo firmado garante um índice bem superior ao sugerido inicialmente pela empresa, de 4,15% de reajuste salarial sem ganho real. O avanço na proposta inicial coloca os sindicatos e a categoria no papel de protagonistas no processo de negociação e mostra que nossos representados querem ser reconhecidos e respeitados por atuarem num setor estratégico no Sistema de Transporte, responsável pelos estudos e pesquisas sobre novas tecnologias, pelo controle e fiscalização dos serviços de transporte, por projetos de novos corredores, entre eles o Expresso Tiradentes considerado como corredor de última geração e “ilha de excelência” no Sistema de Transporte Público sobre Pneus. E ainda fiscaliza o transporte de nove milhões de passageiros por dia, 15.000 veículos que rodam em 4.500km de viário da cidade em 1.350 linhas, 130km de corredores exclusivos, 28 terminais, 33.000 táxis, 9.200 veículos de transporte escolar, 4.600 veículos de fretamento, 1.900 motofrete e outros.

A nova contraproposta oferecida pela SPTrans, que se equipara aos índices de reajuste obtidos pelo Metrô, Sabesp, Cetesb, entre outras, foi avaliada como positiva pelos representantes dos sindicatos, que decidiram pela sua aprovação mediante discussão de detalhamento a ser realizada com a empresa.

Com o fechamento das negociações e o reconhecimento explícito pelo presidente da SPTrans da importância dos trabalhadores no Sistema de Transporte Público de Passageiros, encerramos somente uma etapa da luta. Entretanto, para o próximo ano e com nova administração municipal, esperamos muitos desafios ao conjunto dos empregados da empresa.

Confira, a seguir, a proposta aprovada:

• 4,15% de reajuste dos salários para a data-base 1º de maio;

• 1,94% de aumento real, a partir de 1º de setembro de 2012, a título de reposição salarial;

• os índices totalizam 6,17%, extensivo aos demais benefícios.

• PR (Participação nos Resultados) 2012/2013:

• valor base: R$ 3.108,52;

• valor para assiduidade: R$ 336,94.

• Adicional para condução de motocicleta: R$ 151,16.

 

Lourdes Silva
Imprensa – SEESP



Lido 4208 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda