GRCS

14/08/2012

Primeiro núcleo de inovação de São Paulo será criado em Itaim Paulista

O CMCT&I (Conselho Municipal de Ciências, Tecnologia e Inovação), em sua última reunião do atual mandato de dois anos, realizada nesta terça-feira (14/08), na sede do SEESP, discutiu a implantação dos cinco primeiros Núcleos de Desenvolvimento e Inovação na cidade de São Paulo, todos na Zona Leste. O primeiro será formalizado no dia 29 próximo em Itaim Paulista, região com quase 400 mil habitantes, segundo o Secretário de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, José Alexandre Sanches, que prevê a instalação dos demais até março de 2013, nos bairros de São Mateus, Itaquera, Pirituba e Capela do Socorro. “É muito importante que o município comece a se preparar para o futuro. E o modelo escolhido pela prefeitura, para isso, é o que se baseia em ações em cada território, formando grupos interessados que agreguem empresas, entidades de trabalhadores e educacionais, comércio”, observa o secretário.

A concepção dos “núcleos” se baseia na de organismos estruturados física e legalmente, originados em processos de articulação de lideranças organizacionais altamente representativas, com propósitos bem definidos de atuação em prol do desenvolvimento econômico e social de determinada localidade. A participação da comunidade nesse processo, segundo a apresentação da Agende Guarulhos, agência de desenvolvimento e inovação, com 13 anos de existência, será fundamental para o sucesso da iniciativa. Foi firmado contrato de 12 meses entre a prefeitura paulistana e a Agende para a execução de toda a proposta.

A densidade populacional das regiões, de acordo com Devanildo Damião, coordenador do Núcleo do Parque Tecnológico e acadêmico da Agende, é um trunfo para se criar uma dinâmica e identidade próprias. Nesse sentido, deve-se criar ambientes de articulação que permitam a busca de soluções para gargalos ao desenvolvimento local, tais como mobilidade, geração de renda, organização urbana, desemprego e outros; e desenvolver corpo técnico local capaz de elaborar estudos, pesquisas e levantamentos visando à identificação de oportunidades de desenvolvimento, além de vocações econômicas e estratégicas para a região.

O diretor do SEESP, Allen Habert, destacou que o desafio maior do CMCT&I é transformar os 11 milhões de habitantes da cidade de São Paulo em 11 milhões de cidadãos, que precisam de ações do poder público que promovam crescimento e inclusão social. Por isso, parabenizou a iniciativa da criação dos núcleos, mas destacou que, além da implantação, o projeto deve ser rigorosamente mantido e estendido para as regiões onde estão todas as 31 subprefeituras. “Apostar na descentralização é uma revolução para a cidade de São Paulo. Não podemos inventar a sociedade organizada, devemos nos aproximar dela.”

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa – SEESP



Lido 2066 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda