GRCS

30/07/2012

Chalita: modernizar a administração e humanizar a cidade

Essas são transformações necessárias em São Paulo, apresentadas pelo candidato à Prefeitura Gabriel Chalita (PMDB) durante o ciclo de debates “A engenharia e a cidade”, promovido pelo SEESP em sua sede, na Capital, no dia 30 de julho. Ao inaugurar sua fala, ele destacou o imenso fosso social no município: “De um lado temos uma cidade que cuida de suas crianças, as quais aprendem vários idiomas, têm esporte e lazer, estudam o dia todo, de outro, que abandona seus filhos, com quase 200 mil crianças sem creche. São invisíveis, sem água, esgoto, luz.” Na sua ótica, mudar essa realidade seria o mínimo para diminuir a desigualdade social. Para começar, o caminho, segundo Chalita, é fazer com que o que está parado, mas existe, funcione.

* Veja aqui as fotos do debate

Para consolidar a dimensão global da megalópole, o candidato pelo PMDB pretende, além de resolver “grandes problemas dos invisíveis”, atrair investimentos, definindo regras claras a empreendedores e facilitando sua vida. Nesse sentido, tem como proposta a criação de um “Poupatempo Pessoa Jurídica”. Ele continuou: “Além de melhor planejamento, vejo dois grandes problemas que precisam ser resolvidos. Um é tornar a gestão eficiente, outro é humanizar a cidade.” Quanto ao primeiro ponto, Chalita ponderou: “As subprefeituras têm que funcionar.” Para tanto, na sua concepção, é necessário que os administradores regionais tenham vínculo com o local. E para assegurar a proximidade com o prefeito, o candidato prometeu dar expediente uma vez por semana numa subprefeitura. “Temos que quebrar paradigmas.”

Com relação à humanização, ele enfatizou: “É preciso olhar no olho, respeitar a população e os servidores. Resolver a situação dos moradores de rua, não achar que são lixo. O que se faz credenciando-se comunidades terapêuticas a que cuidem dessas pessoas. Quanto às categorias que são perseguidas, como camelôs, temos que dar alternativas, dialogar.”

Apontando que não fará nessa campanha eleitoral nenhuma promessa milagrosa, mas buscará elevar o nível da política, falando a verdade, ele pontuou ainda que estão em sua pauta novas centralidades para São Paulo, com corredores de ônibus interbairros, para resolver o problema de mobilidade, pensar modelo de calçadas que garanta acessibilidade, melhorar a iluminação pública, bem como utilizar as tecnologias para implantar sistema de monitoramento interligado de segurança pública e semáforos inteligentes. “Se tiver a oportunidade de ser prefeito, não vou desperdiçar a oportunidade de transformar a cidade, com equipe competente e ouvindo as pessoas”, concluiu.

Soraya Misleh
Imprensa SEESP 
Lido 2556 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda