GRCS

10/07/2012

Previdência urbana tem saldo positivo de R$ 2,4 bi em maio

O saldo entre arrecadação e pagamento de benefícios no setor urbano ficou positivo em maio, pela quarta vez neste ano. A Previdência Social registrou superávit de R$ 2,4 bilhões nesta clientela - 28% mais do que o R$ 1,9 bilhão do mesmo período do ano passado. “Isto tem a ver com formalização e com esforços para combater a sonegação”, avalia o secretário de Políticas de Previdência Social do Ministério da Previdência Social, Leonardo Rolim.

O secretário informou ainda que, quando a compensação das receitas das renúncias previdenciárias for feita, a tendência é que a arrecadação do Regime Geral de Previdência Social tenha desempenho ainda melhor. O valor leva em conta também o pagamento de sentenças judiciais e a Comprev (Compensação Previdenciária) entre o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e os regimes próprios de Previdência Social (RPPS) de estados e municípios.

A arrecadação líquida urbana cresceu 9,5% em relação a maio de 2011 e registrou o terceiro maior valor da série histórica (excluindo os meses de dezembro, quando há impacto do 13º salário). Passou de R$ 19,4 bilhões para R$ 21,3 bilhões. Já em relação a abril de 2012, a arrecadação teve redução de 0,2% - R$ 34 milhões a menos.

Acumulado - No acumulado de janeiro e maio, o saldo positivo soma R$ 7,5 bilhões - aumento de 77,3% em relação ao mesmo período do ano passado. O valor é resultado de uma arrecadação de R$ 102,9 bilhões e despesa de R$ 95,4 bilhões.

Arrecadação rural cresce 2,3% em maio

A arrecadação líquida rural cresceu 2,3% em maio, na comparação com o mesmo mês de 2011. Foram arrecadados R$ 533,5 milhões. Em relação a abril de 2012, quando foram arrecadados R$ 563,9 milhões, houve queda de 5,4%.

O pagamento de benefícios para o segmento rural teve redução de 9,8%, se comparado a abril deste ano, que pode ser explicada pelo pagamento de sentenças judiciais ocorrido naquele mês, no valor de R$ 663 milhões. Foram gastos R$ 5,5 bilhões. Já em relação a maio de 2011, houve crescimento de 11,6% nas despesas.

A diferença entre arrecadação e despesa gerou necessidade de financiamento para o setor rural de R$ 5 bilhões - 12,7% mais que no mesmo mês do ano passado.

Agregado - No resultado agregado (urbano e rural) de maio, a Previdência Social registrou a terceira melhor arrecadação da série histórica (excluindo os meses de dezembro, quando há impacto do 13º salário): R$ 21,8 bilhões. Se comparada a maio de 2011, houve aumento de 9,3%. Já em relação a abril deste ano, houve queda de 0,3%.

A despesa com benefícios somou R$ 24,4 bilhões, o que gerou necessidade de financiamento de R$ 2,6 bilhões, 1,4% maior que a registrada em maio de 2011.

No acumulado dos últimos 12 meses, foi registrada uma arrecadação líquida de R$ 266 bilhões. A despesa com benefícios somou R$ 302,7 bilhões, gerando uma necessidade de financiamento de R$ 36,7 bilhões.

 

Imprensa – SEESP
* Informação da Secom da Presidência da República



Lido 1520 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda