logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

03/05/2022

Protagonismo da engenharia é destaque em cerimônia de posse da FNE

Jéssica Silva – Comunicação SEESP

 

Na tarde desta segunda-feira (2/5) foi realizada a cerimônia de posse da diretoria da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) para a gestão 2022-2025. A solenidade aconteceu pela primeira vez em modo híbrido, presencialmente no auditório do SEESP, na capital paulista, virtualmente pela plataforma zoom e com transmissão ao vivo pelo canal da FNE no Youtube.

 

A nova diretoria da entidade foi eleita durante o XI Congresso Nacional dos Engenheiros (Conse), em setembro último. “Agradecemos a todos a confiança de mais um mandato”, ressaltou Murilo Pinheiro, reeleito presidente da federação e atual presidente do SEESP, à abertura do evento, saudando a todos os participantes.

 

 

PosseFNE2022 mesaCerimônia de posse da FNE foi realizada pela primeira vez de modo híbrido. Fotos: Comunicação SEESP.

 

 

Murilo apresentou os novos departamentos da entidade e seus respectivos diretores: José Manoel Ferreira Gonçalves (Departamento de Relações Jurídicas e Legislação), Diego Mizette Oliz (Ação Social e Cidadania), Sebastião Fonseca (Meio Ambiente e Sustentabilidade) e José Ailton Ferreira Pacheco (Departamento de Assuntos Estratégicos).

 

Confira aqui as propostas de trabalho da FNE para o próximo triênio.

“A engenharia é a base do desenvolvimento brasileiro”, afirmou durante sua exposição no evento o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Em sua visão, a área é uma ferramenta no combate ao desemprego, “grande desafio atual”, como classificou.

 

“A construção civil é importantíssima no sentido de que rapidamente gera emprego, renda, crescimento, atividade econômica. Melhora a qualidade de vida das pessoas, desde o saneamento à habitação, moradia, mobilidade, logística [...] Precisamos resgatar planejamento e bons projetos e um grande esforço para implementar tudo isso, com recursos governamentais e investimentos privados”,  completou.

 

PosseFNE2022 MuriloNa mesma linha, falou o deputado federal General Peternelli (PSL-SP): “são os engenheiros que constroem o nosso Brasil”. Ele lembrou da Comissão Legislativa Participativa, em que a sociedade organizada pode apresentar projetos de lei. “A federação pode participar da nossa legislação [...] me coloco à disposição da FNE para contribuir com essas ideias, eu acredito muito nos engenheiros”, frisou.

 

Nesse sentido, a FNE tem atuado fortemente junto ao parlamento com uma de suas bandeiras principais de luta: a carreira de Estado para engenheiros, proposta no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 13/2013. Mobilização esta que foi citada pelo presidente Murilo durante o evento, além da defesa do Salário Mínimo Profissional.

 

“A FNE não defende somente os engenheiros, mas um projeto para o País”, enfatizou o deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), mencionando o projeto “Cresce Brasil +Engenharia +Desenvolvimento”, lançado pela entidade e seus sindicatos filiados em 2006 e atualizado periodicamente com estudos técnicos e propostas de um plano de desenvolvimento nacional sustentável com inclusão social.

 

“Essa federação é muito forte [...] tenho certeza de que a partir de hoje vai crescer ainda mais”, parabenizou o deputado estadual de São Paulo Campos Machado (Avante). “Tenho convicção e certeza de que a sua recondução [à presidência] é pela sua competência, seu comprometimento com a classe, com a nossa classe [...] parabéns pela dedicação”, afirmou o engenheiro civil e deputado estadual de São Paulo, Ricardo Madalena (PL), dirigindo-se a Murilo 

 

A solenidade contou ainda com a presença dos vereadores da capital paulista Juliana Cardoso (PT), Eliseu Gabriel (PSB) e Fernando Holiday (Novo). “Nós vemos a maravilha da engenharia nas cidades, nos campos, no meio ambiente [...] é uma profissão de um orgulho muito grande a todos os brasileiros”, prestigiou Holiday.

 

Cardoso saudou a luta dos engenheiros e servidores públicos municipais da cidade por reajuste salarial, e chamou a entidade a “pensar numa sociedade com tecnologia, infraestrutura, mas enxergando as pessoas”, considerando o “momento difícil, de alto índice de desemprego e muitos passando fome”.

 

“Quem comanda o País decidiu destruir o País, decidiu desmontar todas as estruturas das instituições. É uma visão de que o Estado tem que ser mínimo e que o mercado resolve tudo. É claro que o mercado tem sua importância, mas nós só conseguiremos resolver o problema do País se houver decisões políticas. Existe um desmonte da nossa instituição e isso é gravíssimo. A federação, assim como os sindicatos, são fundamentais nessa resistência”, pontuou Gabriel.

 

O presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto, destacou a responsabilidade da nova gestão dos engenheiros frente à atual conjuntura desafiadora. “Assim como na engenharia, o Brasil precisa de um projeto nacional de desenvolvimento [...] está na hora de acordar para a reindustrialização”, defendeu.

 

 

PosseFNE2022 auditório

 

 

Confira todas as fotos do evento na página da FNE no Facebook

Também marcou presença à mesa o ex-ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Gilberto Kassab, que elogiou o evento e a entidade, “sempre colocando os sindicatos à disposição daqueles que querem o melhor para o Brasil, independente do partido político”.

 

Engenharia unida

Murilo deixou claro que a nova gestão manterá forte o conceito da engenharia unida, relacionamento entre os conselhos, a caixa de assistência Mútua, associações, academia, empresas e sindicatos. “A união da engenharia dá possibilidade de trazermos propostas factíveis para o País”, enfatizou.

 

Assim assentiram o diretor presidente da Mútua, Francisco Almeida, e as presidentes dos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (Crea) de Santa Catarina, Ângela Cristina Paviani, e do Distrito Federal, Maria de Fátima Ribeiro Có.

 

“A potencialidade da FNE é enorme, com atuação em todas as áreas”, frisou Almeida. “Desejamos que seja uma gestão muito profícua”, concordou Paviani. Para Ribeiro Có, é unida que a engenharia sempre estará presente. “Como seria passar pela pandemia sem engenharia? Sem os equipamentos hospitalares [...] a engenharia é tão presente na vida das pessoas, somos protagonistas”, ela destacou.

 

Assista à cerimônia de posse da diretoria 2022-2025 da FNE:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                

 

Lido 152 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda