logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

08/03/2022

Atos para este 8 de Março estão previstos em mais de 30 cidades no País

Rede Brasil Atual*

 

No Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta terça-feira (8/3), entidades e coletivos feministas pretendem ocupar as ruas e as redes em defesa da vida das mulheres. As manifestações estão confirmadas em 30 cidades, em pelo menos 15 estados e no Distrito Federal (veja agenda abaixo).

 

Em pauta, as mulheres buscam “um Brasil sem machismo, sem racismo e sem fome”, um lema nacional que sintetiza as diversas batalhas travadas pelas brasileiras e que abre as primeiras lutas sociais do País neste ano.

 

Os atos também levantam críticas ao governo Bolsonaro. As organizações afirmam que “o aprofundamento da crise econômica no Brasil e no mundo, somado à política da fome, do desemprego e da morte conduzida pelo governo Bolsonaro, que tem tornado a vida do povo ainda mais difícil, atingindo, principalmente, as mulheres da classe trabalhadora”, conforme manifesto publicado em 22 de fevereiro último.

 

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, a taxa de desocupação entre as mulheres foi de 13,9% no quarto trimestre de 2021, enquanto para os homens foi de 9%. Além disso, de acordo com boletim do Observatório Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado em 2021, o Brasil é o país com o maior número de mortes maternas causadas pela covid-19. Até maio daquele ano, a taxa de letalidade materna era de 7,2%. Mais que o dobro da taxa de letalidade do país, na época de 2,8%.

 

Foram elas também que sofreram mais danos à saúde mental durante a pandemia, segundo a Fiocruz. O que abalou inclusive a produção científica. No Dia internacional da Mulher, a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) e as Faculdades de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) e Zootecnia e Engenharia de Alimentos (Fzea) promovem o debate Wowen In Science para levantar os avanços da igualdade de gênero na área e também os desafios e a superação para mulheres na área da pesquisa.

 

Os impactos da pandemia e do governo Bolsonaro sobre a vida das mulheres no campo também mobilizam ações para o 8 de Março. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realiza a Jornada Nacional de Luta das Mulheres Sem Terra nesta semana até a próxima segunda-feira (14/3). No Paraná, partilha de alimentos, materiais de higiene e marmitas, doação de sangue e mutirões de plantio em lavouras comunitárias estão entre as principais atividades previstas. No dia 14, o MST planeja o plantio de árvores para homenagem à vereadora e ativista social Marielle Franco, assassinada nessa data há quatro anos.

 

Confira a agenda de atos para o #8M:

 

Sul

RS – Porto Alegre, concentração na Esquina Democrática, a partir das 18h

RS – Caxias do Sul, concentração na Praça Dante, a partir das 18h

PR – Curitiba, concentração a partir das 18h30, na Praça Santos Andrade. A manifestação passa a caminhar às 18h30

PR – Maringá, acontece a IV Caminhada/Pedalada pelo fim da violência contra a mulher, no dia 12 de março, às 9h, na Praça da Catedral

PR – Guarapuava, a partir das 17h, no terminal da fonte

PR – Assis Chateaubriand, café da manhã e roda de conversa com as mulheres catadoras de material reciclável, às 7h30. E uma roda de conversa na casa da APP-Sindicato de Assis Chateaubriand com as professoras e funcionárias de escola da ativa e aposentadas, às 10h

PR – Foz do Iguaçu, concentração a partir das 17h, em frente ao Bosque Guarani (TTU). Às 18h acontece a saída em marcha que vai até a Praça da Paz

PR – Toledo, ato no dia 6, a partir das 17h30, no Parque Ecológico Diva Paim Barth

PR – Ponta Grossa, ato no dia 6, às 15h30, na Praça Barão de Guaraúna

SC – Blumenau, lançamento vídeo/mosaico em homenagem à Bell Hooks, às 20h. Ato público no dia 11, às 18h30, no Parque Ramiro Ruediger

 

Sudeste

SP – São Paulo, ato no Masp, às 16h

SP – Ubatuba, ato de esquenta, no sábado (5), a partir das 11h, com concentração no calçadão, ao lado das Casas Bahia

SP – Campinas, concentração no Largo do Rosário, a partir das 16h

MG – Belo Horizonte, concentração na Praça da Liberdade, às 16h30

MG – Juiz de Fora, manifestação na Praça da Estação, às 17h

MG – Uberlândia, na Praça Ismene, às16h30

MG – Divinópolis, o ato acontece às 15h30, no quarteirão fechado da rua São Paulo

RJ – Rio de Janeiro, concentração na Candelária, às 16h, e saída às 18h para a Cinelândia

 

Centro-Oeste

DF – Brasília, concentração no Museu da República, às 17h. Reunidas, as mulheres vão seguir em marcha até o Congresso Nacional

MS – Campo Grande, concentração na Avenida Afonso Pena com a 14 de Julho, a partir das 8h

 

Norte

PA – Belém, a partir das 17h, na Praça da República

PA – Ananindeua, o ato acontece no dia 6. A concentração está marcada para 7h e a saída do ato acontecerá às 8h. O local do encontro será a Deam, que fica na Cidade Nova 5, We 31, 1112

 

Nordeste

AL – Maceió, às 8h, na Praça dos Martírios

PE – Recife, partir das 15h, no Parque 13 de maio

RN – Mossoró, pela manhã, haverá feira de rua no Centro Feminista 8 de março (CF8), com comercialização de produtos das mulheres da economia solidária, “Alô Frida”, música ao vivo, batucada feminista, poesia e intervenções políticas. À tarde, acontece o ato unificado, às 16h, na Praça da PAX

RN – Natal, concentração para o ato acontece às 14h30, na Praça Gentil Ferreira

BA – Salvador, a concentração acontece às 14h, na Praça do Campo Grande e a caminhada tem início às 15h, indo até a Praça da Piedade

CE – Fortaleza terá feira feminista às 13h, debate às 14h, cortejo às 15h e ato político e cultural às 16h

MA – São Luís, as mulheres vão se concentrar a partir das 15h na Praça Deodoro

SE – Aracaju, às 9h, haverá um ato na Reserva da Mangaba

 

 

 

 

 

 

 

*Publicado originalmente no portal Rede Brasil Atual em 7/3/2022.

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 203 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda