GRCS

12/06/2020

Dia de reforçar: trabalho infantil é crime

Comunicação SEESP*

 

Doze de junho é o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. A data foi instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2002. No Brasil, a efeméride nacional foi instituída pela Lei nº 11.542, de novembro de 2007, e reforça campanha contra a ainda presente e triste realidade no País.

 

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Pnad 2016/IBGE), 2,4 milhões de crianças e adolescentes entre cinco e 17 anos estão trabalhando na agricultura, na pecuária, comércio, domicílios, nas ruas, na construção civil, entre outras situações.

 

As regiões Nordeste e Sudeste registram as maiores taxas de ocupação, respectivamente 33% e 28,8% dessa população de meninas e meninos trabalhando. Nessas regiões, em termos absolutos, São Paulo (314 mil), Minas Gerais (298 mil), Bahia (252 mil) e Maranhão (147 mil) ocupam os primeiros lugares no ranking entre os estados. Nas outras, ganham destaque Pará (193 mil), Paraná (144 mil) e Rio Grande do Sul (151 mil).

 

Este ano a preocupação aumenta com os impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. “Diante desse flagelo, é preciso recordar a convicção de que a saúde de uma sociedade está diretamente ligada ao modo como cuida de suas crianças e seus jovens: são o futuro de uma nação. Por isso, fechar os olhos para a exploração infantil – de qualquer espécie – significa hipotecar a esperança”, afirmou o Papa Francisco, em carta direcionada ao Brasil sobre a data.

 

Arte

A campanha de combate ao trabalho infantil no País ganhou em 2020 o reforço de uma música composta pelo cantor e rapper Emicida. Intitulada “Sementes”, tem participação da cantora Drik Barbosa, que faz um alerta sobre a necessidade de maior proteção dessa parcela da população.

 

“É muito triste, muito cedo, é muito covarde cortar infâncias pela metade”, destaca o rapper no refrão da música que alerta: “Trabalho infantil é crime.” E deixa a mensagem: “Pra ser adulto sem tumulto não existe atalho; crianças não têm trabalho não.”

 

Confira:

 

 

 

Nesta sexta

A Rede Peteca, plataforma digital que divulga e promove os direitos da criança e do adolescente e a erradicação do trabalho infantil no País, realiza nesta sexta-feira (12/6) live intitulada “O impacto do coronavírus no trabalho infantil”, das 16h às 17h20, pelo Youtube da entidade e página no Facebook.

 

O encontro reúne a gerente de projetos da Plan International – BA, Sara Regina, e a jornalista da Rede Peteca, Bruna Ribeiro, com mediação da coordenadora do Instituto Invepar, Zilma Ferreira. As convidadas analisarão a o atual cenário e quais as expectativas pós-pandemia.

 

“A crise do coronavírus, com o isolamento social e os impactos econômicos, pode agravar ainda mais a situação. As crianças precisam ser protegidas e continuar os estudos”, defende Ribeiro.

 

Clique aqui para saber mais sobre a live e participar.

 

 

 

 

 

 

 

 

*Com informações da Agência Sindical, Rede Peteca e agências.

 

 

 

 

 

 

  

Lido 446 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda