GRCS

24/05/2017

Ocupe Brasília será forte, amplo e mais abrangente ato sindical

O Ocupe Brasília, que deve reunir nesta quarta-feira (24/05) mais de 100 mil trabalhadores, será um dos maiores atos em defesa de direitos já realizados pelo movimento sindical brasileiro. O protesto terá grande número de participantes, inúmeras categorias profissionais, movimentos sociais e gente de todo o País.

Às 18h20 de terça, a Agência Sindical falou com Artur Bueno de Camargo, presidente da Confederação dos Trabalhadores em Alimentação (CNTA Afins) e coordenador do Fórum Sindical dos Trabalhadores. “Já tem bastante gente por aqui. Estamos finalizando a montagem da nossa barraca perto do estádio Mané Garrincha. Só a CNTA trará mil manifestantes”, informava o sindicalista.


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brasília – Máscaras representando parlamentares desonestos são colocadas no gramado em frente ao Congresso Nacional. O ato é realizado pela ONG Rio de Paz.


No meio da tarde, em contato com os Metroviários de São Paulo, a diretoria dava conta de 11 ônibus prontos e de saída para a capital federal. Mesmo categorias que não têm habitualidade nesse tipo de ato público, como os Especialistas em Educação (Sinesp), preparavam ida a Brasília, num ônibus com dirigentes e delegados do sindicato.

Início
Em reunião também no dia 23 último, na Nova Central, em Brasília, as centrais sindicais definiram que a Marcha começa às 11h, nas proximidades do Mané Garrincha. Os trabalhadores seguirão em direção ao Congresso Nacional, onde ocorre o grande ato contra as reformas trabalhista e previdenciária.

A Marcha a Brasília, coordenada de forma unitária por nove centrais, visa pressionar o Congresso Nacional a suspender e retirar da pauta, imediatamente, as propostas de reformas de Temer, que desmontam a Previdência Social e a legislação trabalhista.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves (Juruna), antecipou à Agência que a entidade deve marcar presença com 20 mil trabalhadores. “Já conversamos com o secretário de segurança pública de Brasília para os últimos acertos. Faremos uma manifestação pacífica", afirma.

Alvaro Egea, da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), confirmou que, do ponto de vista estrutural, está tudo acertado. “A partir da meia-noite começa a chegar grande parte dos ônibus. Politicamente a Marcha será um sucesso, vai causar reflexos na opinião pública, no Congresso e no governo. Não vai ter como esconder", explica.

"Estamos com uma estimativa de chegar à Brasília com cerca de 300 ônibus. Nosso objetivo é a retirada dessas reformas que atacam violentamente os direitos dos trabalhadores", diz Adilson Araújo, presidente da CTB.

O presidente da Nova Central do Estado de São Paulo, Luiz Gonçalves (Luizinho), disse que a entidade organizou 25 ônibus só de São Paulo. “Eles vão se somar aos ônibus de Osasco, Santos e outras cidades. A Central pretende levar 10 mil pessoas a Brasília", conta o dirigente.

Outras categorias
Sindicatos de Professores, Frentistas e Jornalistas, entre outros, também organizaram delegações. Caravanas de todo o Brasil chegavam ontem à noite a Brasília. De todos os Estados e dos mais diversos pontos do País, dirigentes, ativistas e trabalhadores da base mostravam entusiasmo e forte disposição de fazer do Ocupa Brasília um dia histórico para a classe trabalhadora e a democracia brasileira.

Embora o foco da 8ª Marcha seja a retirada das reformas trabalhista e previdenciária – por atacar direitos e conquistas, os manifestantes também vão pedir Fora, Temer! e eleições diretas, já.

Cobertura
Desde as primeiras horas da manhã, a Rádio Web Agência Sindical entrevistará dirigentes e ativistas. Fotos e vídeos podem ser mandados para o nosso WhatsApp (11) 94270-9363.

 

 

Publicado por Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Notícia reproduzida do boletim da Agência Sindical
Foto da home de Lula Marques/AGPT

 

 

 

 

Lido 953 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda