GRCS

07/06/2016

SEESP engaja-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

O SEESP participou, no dia 2 de junho último, do 1º Encontro do Núcleo Estadual pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, realizado na Assembleia Legislativa de São Paulo. A representante da entidade foi a coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro, Marcellie Dessimoni, que destacou a importância da atividade e do engajamento da categoria “nesse debate fundamental à humanidade”.

Em setembro de 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. O documento conta com 17 objetivos e 169 metas, que incluem a erradicação da pobreza e da fome; combater as desigualdades dentro dos países e entre eles; construir sociedade pacíficas justas e inclusivas; proteger os direitos humanos e promover a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres e meninas; e assegurar a proteção do planeta e seus recursos naturais. Para cumprir essa agenda até 2030 a ONU pretende implementar uma grande parceria global.  


Foto: Roberto Navarro/Alesp
Marcellie ODS 2 
Da esquerda para a direita: Dessimoni representa SEESP nas discussões sobre programa da ONU
 

Dessimoni fez parte da mesa de abertura da atividade, quando apresentou os projetos que o sindicato desenvolve convergentes aos 17 ODS, como o “Cresce Brasil – Itaim Paulista”, por exemplo. A coordenadora destacou, ainda, a importância da corresponsabilidade da juventude com a agenda 2030, por se tratar de um acordo mundial entre 190 países visando a erradicação da pobreza extrema.

Ieva Lazareviciute, representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, destacou que, na missão de erradicação da pobreza, "já caminhamos muito e não podemos parar no meio dessa corrida".

Ela fez um histórico da agenda de desenvolvimento mundial, que, impulsionada por crises e conflitos, chegou à definição do Índice de Desenvolvimento Humano. A conclusão de que os recursos econômicos mundiais eram suficientes para atendimento às questões de direitos humanos, mas mal direcionados, deu origem aos atuais ODS, como instrumento para direcionar recursos públicos.

A mesa foi composta, ainda, por Cleonice Caetano Souza (Secretária  de Saúde e Segurança da UGT), Mariana Borges (Nós Podemos SP), Cristina Palmieri (Comite de Sustentabilidade-UGT), Américo Sampaio (Cidades Sustentáveis), Renato dos Prazeres (Cooperativa de coleta seletiva Coopercral) e Albertina Takiuti (da Coordenação de Políticas para Mulheres do Governo de São Paulo).


Assista ao vídeo a seguir e saiba mais sobre a ODS:




Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações da Assembleia Legislativa de São Paulo








Lido 2159 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda