Logos

GRCS

Homenagem – Um prêmio à excelência no Dia do Engenheiro

Avalie este item
(0 votos)

Como tradicionalmente ocorre, o SEESP entregou em 11 de dezembro – Dia do Engenheiro – o prêmio Personalidade da Tecnologia 2013 aos destaques do ano em suas áreas de atuação. Cidadãos que têm colocado suas competências a serviço de um País mais justo e inclusivo.

Em sua 27ª edição, os agraciados são: Fredric Michael Litto (na categoria Empreendedorismo e inovação na educação), Sérgio Amadeu da Silveira (Inclusão digital e internet pública), Lúcio Gregori (Mobilidade urbana), Miguel Luiz Bucalem (Planejamento urbano), Dilma Seli Pena (Saneamento ambiental) e Paulo Teixeira (Valorização profissional), este último representado na oportunidade por seu filho Caio Teixeira. A cerimônia ocorreu na sede do sindicato, na Capital paulista, e contou com a presença de cerca de 250 pessoas. Entre as autoridades que prestigiaram a solenidade, esteve o deputado estadual Itamar Borges (PMDB-SP).  No ensejo, foi ainda conduzida por Murilo Celso de Campos Pinheiro, presidente do SEESP, homenagem póstuma ao seu vice-presidente, Laerte Conceição Mathias de Oliveira, que faleceu tragicamente aos 54 anos, em um acidente de automóvel, no dia 12 de outubro último.

Abrindo o evento, João Antonio Del Nero – que representou à oportunidade o coordenador do Conselho Tecnológico do sindicato, José Roberto Cardoso, agraciado na data como “Engenheiro do ano” pelo Instituto de Engenharia –, frisou o simbolismo de o prêmio em 2013 ser entregue a apenas dois profissionais da categoria – Bucalem e Gregori –, ante seis nomes de excelência: “Nada se faz na sociedade sem a engenharia, mas essa precisa de saberes diversos para assegurar o desenvolvimento nacional.”


Os agraciados

Consciente da importância da interdisciplinaridade, ao receber o prêmio, Litto afirmou ainda que a universidade precisa transmitir aos estudantes a ideia de que o aprendizado deve ser contínuo. Já Miguel Bucalem destacou o quanto a sociedade civil organizada pode contribuir no “desafio tão grande como é o planejamento da cidade”. Sob esse mote, enalteceu o exemplo singular do sindicato na elaboração do projeto SP 2040. Ao falar do pai, Caio Teixeira apontou: “Esse reconhecimento mostra que ele (deputado Paulo Teixeira) segue na boa rota pela coletividade e o desenvolvimento do nosso país.”

Emocionada, Dilma Seli Pena apresentou uma síntese de sua história de vida e atuação na Sabesp, destacando a dedicação para garantir a melhoria do serviço de saneamento em território paulista.

Sérgio Amadeu aproveitou a ocasião para expor ideias centrais na atual sociedade da informação. Entre elas, de que é mister “apostar no conhecimento compartilhado”. Segundo ele, a transmissão desse conhecimento é barrada por “aqueles que querem manter a desigualdade”. Para fazer frente a isso, defendeu a necessidade de se “construir redes digitais, ter ampla malha de banda larga no País”. E concluiu: “A internet é elemento chave para romper com a miséria e tem que continuar a ser livre, criativa, aberta, usada para compartilhar conhecimento e levá-lo a todos os lugares do Brasil.”

Pai da ideia da “tarifa zero”, ao apresentar projeto de lei relativo ao tema há 23 anos, Lúcio Gregori falou de outra questão crucial para uma nação justa e desenvolvida: garantir mobilidade urbana a todos, oferecendo “pleno acesso à cidade”. Expressando a emoção de ver o tema ser colocado no centro da pauta com as manifestações deste ano, ele afirmou: “É significativo que a Câmara dos Deputados tenha aprovado a PEC 90 (Proposta de Emenda à Constituição), que transforma o transporte em direito social no artigo 6º da Constituição Federal, como ocorre com saúde, educação, segurança. É uma conquista que devemos ao que aconteceu em junho e julho deste ano.” E encerrou citando frase do geógrafo Milton Santos: “O mundo não é formado apenas pelo que já existe, mas pelo que pode efetivamente existir.” Gregori acrescentou: “Um mundo sem catracas.”



Personalidades da Tecnologia


Empreendedorismo e inovação na educação
FREDRIC MICHAEL LITTO

Formado em rádio-televisão pela Universidade da Califórnia, dos EUA, em 1960, e doutor em história do teatro pela Indiana University, em 1969. É professor emérito da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), na qual lecionou de 1971 a 2003. Foi coordenador-fundador do laboratório de pesquisa “Escola do Futuro da USP”, de 1989 a 2006. É presidente da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) desde 1995. Em 2011, recebeu seu segundo Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro, em Tecnologia e informática, pelo livro “Aprendizagem a distância”. É membro do Conselho Editorial de diversas revistas científicas, dos Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Austrália/EUA e Espanha, bem como do Board of Trustees do International Council of Open & Distance Learning (Noruega).


Inclusão digital e internet pública
SÉRGIO AMADEU DA SILVEIRA

Graduado em ciências sociais em 1989, mestre e doutor em ciência política pela Universidade de São Paulo, em 2000 e 2005. É professor adjunto do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do ABC (UFABC). Integra o Comitê Científico Deliberativo da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber). Presidiu o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, de 2003 a 2005. É membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil. Pesquisa as relações entre comunicação e tecnologia, práticas colaborativas na internet e a teoria da propriedade dos bens imateriais. Autor dos livros “Exclusão digital: a miséria na era da informação” e “Software livre: a luta pela liberdade do conhecimento”. Idealizou e foi o primeiro coordenador do projeto de telecentros de São Paulo, em 2001. Foi um dos formuladores do projeto das praças digitais. É ativista do software livre e um dos articuladores do Marco Civil da Internet e do princípio da neutralidade da rede.


Mobilidade urbana
LÚCIO GREGORI

Engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) em 1960, na mesma instituição, fez pós-graduação em mecânica dos fluidos e transmissão de calor em 1969. Foi responsável pelo setor de controle e acompanhamento do Plano de Ação de Governo do Estado de São Paulo de 1960 a 1962. Foi gerente de programação e controle da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), de 1968 a 1971, e diretor de Planejamento da Empresa Municipal de Urbanização de São Paulo (Emurb), de 1971 a 1972. Desenvolveu suas atividades profissionais, também, na Empresa de Planejamento Metropolitano da Grande São Paulo (Emplasa) e na Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). Foi secretário municipal de Serviços e Obras de São Paulo entre 1989 e 1991 e de Transportes de 1990 a 1992, quando propôs o projeto tarifa zero, com o pagamento dos serviços de ônibus feito pelo Fundo Municipal de Transportes, sem custos ao usuário.


Planejamento urbano
MIGUEL LUIZ BUCALEM

Engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) em 1984, mestre e professor na instituição em 1987. Obteve os títulos de PhD pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), dos EUA, em 1992, e em 1996, de livre-docente pela USP. Em 1997, tornou-se professor titular da Poli-USP, chefiando o Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica em 2006. Coordenou o curso de pós-graduação em engenharia civil da USP stricto sensu de 1994 a 1995. Ocupou de 2007 a 2008 a chefia da Assessoria Técnica de Planejamento Urbano do Município de São Paulo. De 2009 a 2012, foi secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e, nessa condição, presidiu o Conselho de Política Urbana e a Câmara Técnica de Legislação Urbanística. Esteve à frente, ainda, do Comitê Municipal de Mudança do Clima e Ecoeconomia de São Paulo. Foi presidente da São Paulo Urbanismo de 2010 a 2012. Hoje é coordenador acadêmico do USP Cidades, junto à Poli.


Saneamento ambiental
DILMA SELI PENA

Mestre em administração pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), iniciou sua carreira como funcionária pública federal em 1976, como técnica em planejamento e pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Foi diretora de saneamento da Secretaria de Política Urbana e de Investimentos Estratégicos do Ministério do Planejamento em 1995. Participou da estruturação da Agência Nacional de Águas (ANA). No governo paulista, atuou como secretária adjunta de Economia e Planejamento de 2005 a 2006, ano em que coordenou a revisão do Plano Diretor da Cidade de São Paulo. Foi secretária de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo e presidiu os conselhos de administração das estatais paulistas Sabesp, Emae, Cesp e CPOS, de 2007 a 2010, além de ter participado da criação da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp). Em 2011, foi eleita presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e hoje é membro do Conselho de Administração da empresa.


Valorização Profissional
PAULO TEIXEIRA

Advogado formado pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em direito do Estado pela mesma instituição. Cumpre o segundo mandato como deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT) de São Paulo. Seu nome é referência no tema da tecnologia. Destacou-se na discussão do Marco Civil da Internet e na luta contra o projeto conhecido como AI-5 Digital. Autor do Projeto de Lei 2.793/11, transformado na Lei 12.737/2012, a primeira do Brasil a tipificar os crimes cometidos na internet. Ex-líder da bancada petista, é secretário-geral do Partido dos Trabalhadores e relator do texto de reforma do Código de Processo Civil na Câmara dos Deputados.


Por Soraya Misleh

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda

art creasp