GRCS

17/09/2014

“Nossos senadores não sabem lutar por São Paulo”, afirma Kassab

Ex-prefeito da Capital e na disputa por uma vaga no Senado pelo PSD, Gilberto Kassab participou, na terça-feira (16/9), do Ciclo de debates A engenharia, o Estado e o País, que vem sendo promovido pelo SEESP desde julho com a participação dos candidatos aos cargos majoritários nas Eleições 2014. Colocando-se como a opção de “renovação” em relação aos concorrentes diretos, Eduardo Suplicy (PT), com mandato atualmente, e José Serra (PSDB), que já exerceu o cargo (eleito em 1994), Kassab criticou o conjunto da bancada paulista. “Há uma decepção como os nossos senadores. São Paulo perdeu representação em Brasília nos últimos 30 anos”, afirmou.

De acordo com o ex-prefeito, falta iniciativa aos parlamentares que representam o Estado no Congresso. “Quando houve a ameaça à Zona Franca de Manaus, os senadores Amazonas ameaçaram parar as votações. Os do Rio se mobilizaram para defender o direito aos royalties do petróleo. Os de São Paulo não fazem isso”. Completando a crítica aos adversários, estocou: “O Suplicy fala sobre renda mínima num dia e no outro também. E o Serra, quer ser senador ou é o que sobrou?”

Entre as iniciativas que, em sua opinião, deveriam ser tomadas em defesa do Estado, Kassab inclui a revisão no pacto federativo de modo a permitir que o Estado receba mais recursos. “No ano passado, São Paulo arrecadou para a União R$ 323 bilhões; teve retorno de cerca de R$ 27 bilhões, menos de 10%. O Brasil está quebrando São Paulo.” Segundo o ex-prefeito, há grave carência de recursos financeiros, que impedem a solução de inúmeros problemas enfrentados por São Paulo, como a baixa qualidade do ensino público, a falta de segurança e até a crise hídrica. “Hoje, o reservatório da Cantareira está em 8,9%, a situação é gravíssima e ninguém faz nada. O governo está esperando passar a eleição. No dia seguinte, virá uma solução radical, pois a represa está na iminência do colapso”, alertou.

Outro setor no qual, segundo ele, São Paulo deveria contar com mais apoio federal é o do transporte público. “Precisamos de dinheiro. A questão da mobilidade é uma vergonha, não se põe recurso a fundo perdido aqui”, queixou-se.

Propostas
Kassab afirmou que, se eleito, pretende aprovar um projeto nacional de incentivo ao ensino integral nas escolas municipais. Ainda na educação, o candidato do PSD afirmou que defenderá o estímulo à pesquisa. Para a saúde, a proposta são mais verbas e descentralização. Na área da segurança pública, defendeu melhores salários aos policiais e garantia de recursos “carimbados” para o setor, evitando possibilidade de que sejam usados para outra finalidade.

O ex-prefeito afirmou que trabalhará também por uma reforma tributária que vise “a redução da carga de impostos e a desburocratização”. Defendeu ainda a reforma política que impeça a existência de “legendas de aluguel”.

Ao final do debate com os engenheiros, Kassab recebeu do presidente do SEESP, Murilo Celso de Campos Pinheiro, a publicação “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento – Novos Desafios”, que traz propostas de ações visando o desenvolvimento nacional, sobretudo o combate à desindustrialização. O ex-prefeito foi presenteado ainda com os livros comemorativos aos 80 anos do SEESP, que se completam no próximo dia 21, e aos 50 anos da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), celebrados em 25 de fevereiro último.

 

 

 

* Confira outras fotos do evento aqui.

 

Rita Casaro
Imprensa SEESP

Lido 1617 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda