Logos

GRCS

15/08/2014

Podcast: servidores de S. Paulo rejeitam subsídio em audiência

Os servidores públicos do município de São Paulo deixaram ao prefeito Fernando Haddad (PT) e aos presentes na audiência pública ocorrida na terça-feira, dia 13 de agosto, entre 10h e 12h, no Plenário 1º de Maio, da Câmara Municipal, que a grande maioria das categorias rejeita o projeto de lei 312/2014 enviado à Câmara Municipal pelo executivo. O projeto congela os salários de todo o funcionalismo público municipal, a partir da remuneração feita por subsídio.

Ou seja, caso aprovado o PL, o piso e todas as gratificações que compõem a remuneração do servidor passa a ser uma coisa só e, após essa junção dos valores, os trabalhadores serão obrigados a abrir mão de futuras gratificações, que atualmente são pagas por tempo de serviço ou cargo exercido.


Durante a audiência, a engenheira Denise Lopes de Sousa, que trabalha na Secretaria da Habitação, fez essa denúncia, lembrando que as gratificações são a única forma de compensar a falta de reajustes salariais, desde a implementação da Lei Salarial 13.303, de 2002, que autoriza a administração municipal a conceder 0,01% de reajuste anual.

O presidente do Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo (Sasp), Maurilio Chiaretti, avalia que a audiência foi importante para unificar a luta dos servidores, que deram seu recado ao prefeito, representado na atividade pela secretária de Planejamento, Leda Paulani.


O Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP) foi representado na audiência por seus delegados sindicais que acompanharam tudo de perto e também avaliaram positivamente as falas dos servidores.


Quem também fez questão de salientar a unidade dos servidores municipais de São Paulo foi a ex-prefeita Luiza Erundina, atual deputada federal pelo PSB, que compareceu à audiência.

Ouça as entrevistas no podcast sobre a atividade:

 

 




Deborah Moreira
Imprensa SEESP



Lido 1722 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda