GRCS

18/02/2020

SEESP coloca em pauta processos e tecnologias da construção 4.0

Comunicação SEESP

 

Na noite desta segunda-feira, 17/2, o SEESP realizou o workshop “Bases da Construção 4.0”, em sua sede, na capital paulista. Associados, estudantes e o público geral puderam explorar por meio das palestras conceitos e processos inovadores que estão mudando a forma de trabalho no setor.

 

Workshop ReginaRuschel 170220Regina Ruschel, especialista em BIM, no workshop do SEESP. Fotos: Beatriz Arruda. Abrindo a fala dos especialistas, a pesquisadora e responsável pela formação de mestres e doutores na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Regina Ruschel, apresentou o que a modelagem da informação da construção, o BIM (original Building Information Modeling), propicia aos projetos associados às novas tecnologias.

 

O BIM atua como guia na projeção e construção da obra, conforma ela exemplificou, mas também após a finalização, no acompanhamento da vida útil da obra. “O gêmeo digital [BIM] não é só representação 3D informacional do que existe, mas representa o comportamento, o desempenho daquilo que está sendo usado”, afirmou Ruschel.

 

Nesse sentido, a engenheira citou a aplicação da internet das coisas (IoT). Por meio de sensores em lâmpadas, ela exemplificou, é possível “fazer uma manutenção reativa”. Também a partir desta forma de monitoramento pode se ter informações sobre estoque de uma obra, e, adicionado a isso, pesquisas de custo dos materiais, entre outros pontos que permitem melhores desempenhos em manutenção e controle.

 

“É muito bom falar de desempenho visualizando que o ciclo vai se fechar, no sentido de que vamos entregar um desempenho no projeto, poderemos monitorar esse desempenho na obra, e vamos conseguir realmente verificar esse desempenho no uso do edifício”, contemplou a consultora Bruna Canela.

 

Workshop BrunaCanela 170220Bruna Canela apresentou a importância da Norma de Desempenho na construção 4.0. Canela abordou em sua palestra (clique aqui para conferir a apresentação) a atual Norma de Desempenho (NBR 15.575:2013), que traz critérios e requisitos que é preciso adotar em projetos e entrega-los na obra – sustentável, isolamento acústico, evitar propagação de incêndios entre outros que possam ser aderidos – , conforme ela explicou. Em suma, nas palavras da arquiteta, “é um manual que o construtor tem que montar e entregar no final para os usuários da obra”.

 

“Ela não vem para engessar o processo, pelo contrário, como ela está falando de desempenho, de resultado, de meta, independente de como você vai construir, ela deve estimular a inovação”, ela explicou. A Norma de Desempenho auxilia também na qualidade das obras, fornecendo subsídios para uma manutenção preventiva, conforme Canela destacou.

 

Antonio Gilberto de Freitas Filho, diretor do Instituto de Tecnologias de Industrialização das Edificações (ITIE), abordou em sua fala sistemas e processos adotados pelo mundo e uma análise dos realizados no Brasil (clique aqui para conferir a apresentação). A cadeia da construção civil brasileira é, em sua maioria, composta pelos empreiteiros e construtores, conforme dados apresentados por Freitas. Parte menor é da indústria, que produz os materiais de construção, e 1% de máquinas e equipamentos, “e a maior parte é betoneira, andaime (...) a tecnologia embarcada é pouca”, ele afirmou.

 

Workshop AntonioItie 170220Freitas exemplificou como as estruturas leves (Ligh Steel Frame) podem significar industrialização na construção civil brasileira. Neste cenário, o engenheiro apresentou os benefícios de estruturas em Light Steel Frame (LSF). “As estruturas leves permitem que com baixo investimento você possa dar os primeiros passos na industrialização da construção civil”, ele defendeu.

 

LSF, de acordo com a apresentação de Freitas, é intercambiável com pré-moldados de concreto, com aço laminado, com a estrutura de madeira laminada colada, com painéis compósitos. Possibilidades estas que permitem um ambiente mais industrializado, segundo o palestrante, inclusive, mais produtivo e com menos “tarefas no canteiro de obras”.

 

 

Qualificação profissional

Na avaliação do coordenador da área SEESP Educação, Antonio Octaviano, o workshop foi um sucesso. “A conexão entre os temas BIM, projeto e construção industrializada e requisitos para qualidade, conforto e segurança das construções, foi um notável diferencial do evento”, ele destacou.

 

Os três temas explorados na atividade são objetos de cursos promovidos pelo SEESP Educação. Com inscrições abertas, o curso “Projeto de estruturas em Light Steel Frame” tem início previsto para 7/3 próximo. Já em maio será realizado o curso sobre a Norma de Desempenho. E em breve, serão abertas inscrições para a terceira turma de “Fundamentos e Implementação de BIM”, com aulas presenciais na sede do sindicato.

  

Clique aqui e confira mais informações sobre os cursos

 

 

Confira também na íntegra o workshop “Bases da Construção 4.0” no vídeo a seguir:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 477 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda