Logos

GRCS

29/11/2019

Diego Mendes: engenharia com tecnologia, inovação e qualidade

Jéssica Silva
Comunicação SEESP

 

Na categoria “Planejamento e Engenharia de Manutenção” é que o engenheiro Diego Mendes, CEO da empresa ConstruCode, será agraciado como Personalidade da Tecnologia 2019, em solenidade no próximo dia 9/12. A já tradicional premiação do SEESP marca a comemoração do Dia do Engenheiro – oficialmente em 11/12 –, e também destaca os profissionais que durante o ano desenvolveram projetos e ações em prol da engenharia e da sociedade.

 

Mendes iniciou sua trajetória profissional na área de tecnologia da informação. Em 2011 entrou na engenharia escolhendo a civil como modalidade inicial, especializando-se posteriormente em gestão empresarial e em BIM, o processo de modelagem da informação da construção (Building Information Modeling). Foi com tais formações que ele desenvolveu um olhar crítico sobre a forma de se trabalhar em canteiros de obras e, a partir disso, surgiu o projeto da ConstruCode, uma ferramenta digital que auxilia na organização de informações das obras por meio de código QR, hoje já utilizada por grandes construtoras.

 

“Desse canal de comunicação abre-se um leque de possibilidades de serviços”, Mendes exemplifica em entrevista à Comunicação SEESP. Ele conta como o aplicativo também é uma importante aliada à engenharia de manutenção e à melhoria da engenharia nacional. Com o prêmio, o empreendedor se vê no caminho certo. “Agradeço a indicação e o reconhecimento conferido a mim por essa entidade”, ele afirma. Confira:

 

Diego Mendes ConstruCodeDiego Mendes, Personalidade da Tecnologia 2019. Foto: Divulgação. Como foi desenvolvido a ConstruCode?

A ConstruCode foi desenvolvida para transformar a realidade de canteiros promovendo aumento de produtividade e eficiência para as obras através de um modelo de comunicação totalmente novo. Historicamente repetir processos de forma artesanal é um dos maiores ralos de produtividade da construção civil. Segundo pesquisas da Mckinsey & Company (empresa americana de consultoria empresarial), um trabalhador da área da construção gasta apenas 32% do seu tempo envolvido com atividades que agregam valor. O restante, ou seja, quase 70%, são desperdícios evidentes ou ocultos. Foi então que notei que, se conseguíssemos automatizar o processo de distribuição de informações, estaríamos poupando o bem mais valioso das pessoas que é o seu tempo.

 

O que levou o a pensar nesta inovação?

Eu era analista de sistemas, e quando pivotei (guinada) minha carreira me tornando engenheiro civil, comecei a ver uma série de problemas que poderiam ser resolvidos com tecnologia. Trabalhava com projetos e comecei a observar que muito das informações que eram produzidas no escritório não chegava ao operário, na outra ponta. Quanto mais rico de dados era o projeto mais difícil era representá-lo no modelo tradicional, em que tudo era impresso em papel. Se ninguém imprime e-mails antes de ler ou mapas para dirigir, por que precisamos imprimir projetos para construir? O papel suja, molha, rasga, é limitado e fica logo defasado, estamos falando em obras que chegam a ter mais de 20 mil impressões, é oneroso e pouco assertivo gerir essa operação de forma analógica.

 

Na sua opinião, como é visto o planejamento em obras da engenharia nacional? E a engenharia de manutenção?

Analógica, uma jornada muito artesanal e ainda com muitos improvisos apesar de possuir processos tecnicamente simples. Fato que tornou negligenciada a necessidade de evoluir no tempo, diferente de outros setores como o de computadores ou automobilístico que exige muito mais tecnologia para serem construídos e isso acelera o processo de evolução. É uma indústria muito diluída e essa demanda desconcentrada faz a maior construtora nacional ter apenas 7% de market share, a segunda 2%, e as demais não tem tanta representatividade, a concentração vista em bancos e telefonia faz com que você consiga catalisar evoluções de forma mais efetiva. É um ecossistema com muito pouca conectividade e a ótica de indústria 4.0 com uma jornada integrada desde à engenharia de projeto até a engenharia de manutenção é fundamental para um melhor controle da cadeia.

 

O aplicativo é uma importante ferramenta de planejamento. Nesse sentido, como atua também na manutenção?

É fato que dados são o novo petróleo e canteiros são as maiores fábricas de dados não documentados de todas as indústrias. Com a aplicação das etiquetas não só na obra como também na operação e manutenção do empreendimento é possível conectar toda a cadeia de valor com o proprietário estreitando o relacionamento através de uma melhor experiência de gestão do imóvel. Desse canal de comunicação abre-se um leque de possibilidades de serviços que podem ir desde a solicitação de mão de obra através da leitura da etiqueta de um apartamento até a oferta ativa de serviços por parte da construtora ou dos condomínios. Em backoffice, o sistema monitora e mapeia os padrões de uso norteando a construtora sobre recorrência de solicitações de reparos e qualidade dos equipamentos entregues gerando um melhor controle de processos construtivos adotados.

 

Quais outros benefícios / pontos relevantes a ConstruCode traz à construção civil? 

Tornamos prática e confiável a comunicação nas obras através da transformação digital. Nossa contribuição se baseia em entregar para o setor da construção uma plataforma online capaz de garantir de forma autônoma a atualização e distribuição de 100% das informações construtivas de uma obra através de um sistema de gestão baseada em etiquetas QRCode. As etiquetas geradas automaticamente eliminam projetos e documentos impressos ou desatualizados em posse das equipes em campo, além de auxiliar no planejamento e tomada de decisões nos canteiros.

 

No próximo dia 9/12, o senhor recebe do SEESP o prêmio Personalidade da Tecnologia 2019 na categoria Planejamento e Engenharia de Manutenção. Como o senhor vê essa homenagem?

Vejo essa homenagem como um sinal de que estou no caminho certo, ao longo da minha carreira aprendi muito com todo o conhecimento gerado pelas gerações anteriores, muitos profissionais me ensinaram e tenho gratidão por todos que de alguma forma contribuíram para chegar até aqui, em especial o Dr. Thales de Azevedo Filho – engenheiro, 76 anos –, meu mentor e amigo, que de forma muito generosa me abriu portas da sua empresa e do seu conhecimento me ofertando o bem mais valioso, o conhecimento. Acredito na importância da conexão entre gerações, pois promove oportunidades e grandes possibilidades de tornar a engenharia cada vez mais inovadora, baseada não apenas no conhecimento empírico, mas também na mineração e conectividade dos dados em canteiros, utilizando a tecnologia a favor da sociedade e do meio ambiente. Agradeço a indicação e o reconhecimento conferido a mim por essa entidade, que realiza um brilhante trabalho em prol dos profissionais, da sociedade e da engenharia nacional.

 

 

 

 

 

 

 

Lido 400 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda