Logos

GRCS

13/07/2018

Do cultivo à tecnologia, conheça o engenheiro de aquicultura

 

Jéssica Silva
Comunicação SEESP

 

Você pode não saber, mas em seu prato predileto com frutos do mar ou em seu hidratante facial a base de algas está a produção aquícola e, no comando dela, do cultivo de espécies à direção de obras técnicas, o engenheiro de aquicultura. Celebrado neste 14 de julho, o Dia do Engenheiro de Aquicultura é data oportuna para conhecer melhor este profissional relativamente novo na engenharia.

 

A graduação foi reconhecida pelo Ministério da Educação em 2003 e a profissão aprovada pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) em 2006. Hoje o Brasil conta com 273 engenheiros dessa modalidade. Para Alysson Azevedo de Menezes, ser engenheiro de aquicultura é trabalhar com o intuito de contribuir com a melhoria da qualidade de vida da população e com o desenvolvimento do País, “sempre de forma responsável e sustentável”, ele defende.  

 

Como você chegou à engenharia de aquicultura?

 

Ingressei na primeira turma do curso de aquacultura da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) no início de 2009. Em 2012, com intuito de enriquecer mais os meus conhecimentos e explorar novas oportunidades na área aquícola, pedi transferência para o curso de engenharia de aquicultura na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Nesse período fiz estágios por vários lugares no País e, finalmente, no primeiro semestre de 2016 concluí a graduação. Logo após a conclusão do curso, iniciei no meu primeiro trabalho como assessor técnico, em Rondônia. Em seguida trabalhei como gestor em uma piscicultura que produzia tilápias em tanques rede, no Mato Grosso do Sul. Hoje, trabalho na empresa Multipesca, sediada no Paraná, atuante no ramo de venda de equipamentos para aquicultura, projetos e construções aquícolas em tanques elevados, uma tecnologia relativamente nova no Brasil.

 

Como é sua rotina de trabalho hoje?

 

Na Multipesca, trabalho principalmente na parte de dimensionamento dos projetos, planejamentos produtivos, viabilidade econômica e auxílio na coordenação das obras. Viajo acompanhando as equipes de construção e participo de todas as etapas da implementação do projeto, desde a terraplanagem do terreno até o acabamento final do último tanque construído.

 

 

Foto: Arquivo pessoal
EngAquicultura Alysson
Alysson (à esq.), atuando nas obras de tanques elevados.

 

 

 

 

A engenharia de aquicultura é uma área relativamente nova. Qual sua visão da modalidade?

 

A meu ver, é uma área extremamente promissora, principalmente no nosso País, que tem um potencial gigantesco para empreendimentos aquícolas devido o clima, à grande quantidade de água disponível, além da riqueza e diversidade da nossa fauna de organismos aquáticos com potencial para cultivo.

 

Qual é a importância do engenheiro de aquicultura à sociedade?

 

O engenheiro de aquicultura é um profissional que possui a capacidade de desenvolver e/ou gerir sistemas produtivos eficientes e lucrativos cujo produto final é um alimento saudável, saboroso e rico em proteína de excelente qualidade, como é o exemplo dos peixes, crustáceos (camarões, lagostas etc), moluscos (ostras, mexilhões, vieiras etc), macroalgas, que podem ser utilizadas como alimento ou na indústria farmacêutica e/ou cosmética, e também microalgas utilizadas no ramo alimentício ou de combustíveis.

 

E ao meio ambiente?

 

Apesar de muitas pessoas e ONGs terem uma visão da aquicultura como a vilã quando o assunto é meio ambiente, a realidade é justamente oposta. A aquicultura tem ajudado bastante na conservação e reposição dos estoques pesqueiros, que estão estagnados ou quase esgotados em vários locais por todo o mundo. Os projetos de recirculação aquícolas, em inglês RAS (Recirculating Aquaculture Systens), que tem sido o meu foco e da equipe técnica da Multipesca nos últimos anos, são capazes de produzir uma grande quantidade de biomassa utilizando um volume relativamente pequeno de água e de espaço físico. Nesses sistemas a água que é utilizada nos tanques de cultivo passa por vários processos de filtragem, purificação e desinfecção. Em seguida retorna aos tanques de cultivo em condições mais próximas do que seria ótimo para os animais estocados, isso faz com que eles se desenvolvam de forma rápida e saudável. Por ser um sistema fechado, o uso de água é extremamente reduzido e não há descartes que possam causar danos nem impactos ao meio ambiente. A água que entra no sistema é apenas aquela que é perdida no processo de evapotranspiração.

 

Para você, o que é ser um engenheiro de aquicultura?

 

Ser engenheiro de aquicultura é trabalhar com o intuito de contribuir com a melhoria da qualidade de vida da população e com o desenvolvimento do nosso País, explorando novas tecnologias e auxiliando na produção de alimentos saudáveis e que sejam acessíveis a todas as classes econômicas. Sempre de forma responsável e sustentável.

 

 

 

 

 

 

Lido 3207 vezes

Comentários   

# informaçãoCLESBERTO MENDES FER 21-11-2019 16:14
gostaria de saber mais sobre o curso de engenharia de aquicultura, onde começou a primeira turma, quais as universidades hoje oferecem o curso a historia como um todo

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda