Logos

GRCS

11/07/2018

José Luiz Del Roio é homenageado pelo movimento sindical

Avalie este item
(0 votos)


Comunicação SEESP*


Aos 76 anos, o escritor e ativista político José Luiz Del Roio foi homenageado na segunda-feira (9/7) - Dia da Luta Operária, instituído pela Lei nº 16.634/17, de autoria do vereador Antonio Donato (PT). O parlamentar entregou a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da cidade de São Paulo a Del Roio.

 

Foto: Divulgação Gabinete Antonio Donato

homenagem a del roio
Del Roio agradece a homenagem e lembra de outros militantes que contribuíram com o movimento operário brasileiro.



A cerimônia, também iniciativa de Donato, contou com a presença de 200 pessoas. O local escolhido foi o antigo Moinho Matarazzo, no Brás, na capital paulista, cujas imediações foram palco de fatos marcantes da paralisação de trabalhadores em 1917, considerada a primeira greve geral do Brasil.

As comendas entregues são oficiais da Câmara Municipal e, segundo o gabinete de Donato, representam o reconhecimento pela atuação do escritor em defesa da classe trabalhadora. Desde a juventude ele se dedicou à organização de sindicatos e lutou contra a ditadura civil-militar inaugurada com o golpe de 1964.

“No ano passado celebramos o centenário da greve de 1917. Este ano resolvemos homenagear alguém profundamente ligado à luta operária. Em 2017 Del Roio esteve aqui e fez uma palestra envolvente sobre aquela greve e a origem da classe operária brasileira. Ele lançou seu livro  (“A greve de 1917 – os trabalhadores entram em cena”) nesse mesmo local”, explicou Donato.


História

O Dia da Luta Operária é um contraponto ao 9 de julho celebrado pela burguesia paulista, que em 1932 iniciou um levante contra o governo de Getúlio Vargas. A elite dirigente de São Paulo estava em conflito com a União desde 1930, porque o gaúcho Vargas assumiu o poder através de um golpe e rompeu com a política do café com leite, em que Minas e São Paulo se revezavam no governo federal. Inconformada, a elite paulista articulou um golpe para derrubar Vargas. O plano acabou frustrado.

Em 1919, também em 9 de julho daquele ano, o operário de origem espanhola José Martinez foi baleado pela repressão em meio aos protestos durante a greve que paralisava a cidade de São Paulo. A indignação pela sua morte dias depois incendiou a luta. A ação, liderada por mulheres, obteve conquistas importantes e foi a base da organização do movimento sindical brasileiro.

Nascido em São Paulo, José Luiz Del Roio começou a atuar no Partido Comunista Brasileiro (PCB) na juventude, organizando entidades estudantis e sindicais. Depois do golpe militar de 1964, juntamente com outros militantes como Carlos Marighella, fundou a Ação Libertadora Nacional (ALN).

Viveu em Cuba, Peru e Chile, até se fixar na Europa. Foi um dos responsáveis pela retirada do Brasil de importantes documentos e acervos do PCB, incluindo a biblioteca de Astrojildo Pereira, contendo jornais, livros, revistas das primeiras décadas do século XX do movimento operário brasileiro. O material foi recolhido em uma operação secreta e levado para Milão, na Itália. Com a redemocratização, o acervo retornou ao Brasil. Del Roio também é cidadão italiano e em 2006 elegeu-se senador naquele país. Foi, ainda, membro do Conselho da Europa. À cerimônia, participantes lembraram de sua importância para a luta operária brasileira.

“Del Roio é um personagem central da luta de classe no Brasil, que luta há pelo menos 60 anos. E nós desta cidade estamos homenageando neste local e data, que está sendo disputada. A luta operária nasceu nesta cidade e vizinhanças. É extremamente significativa a escolha deste local para a homenagem, e não a Câmara Municipal”, enfatizou o professor e dirigente do PSOL, Gilberto Maringoni. 

O homenageado citou ainda um terceiro 9 de julho, o de 1924, quando oficiais do Exército fizeram manifesto exigindo mudanças no Brasil. Um dos braços do protesto foi em São Paulo, e o governo federal à época bombardeou a população civil da cidade. O episódio acabou desaguando na famosa Coluna Prestes.

Estiveram presentes também dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Intersindical, além do cientista político Paulo Sérgio Pinheiro, o deputado estadual José Américo (PT), a arqueóloga forense Ana Tahuyl, o ex-deputado Adriano Diogo (PT), o vereador Eduardo Suplicy (PT), entre outros.

Teresa Isenburg, esposa de Del Roio, foi homenageada no evento. E a filha do casal, Lavínia Del Roio, deu um depoimento emocionado e alegre sobre a vida do pai.



* Com informações da assessoria de imprensa do gabinete do vereador Antonio Donato.




Lido 71 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

vagas estagio

agenda

art creasp