Logos

GRCS

29/11/2017

Startup brasileira recebe prêmio internacional por solução inovadora em saneamento

Comunicação SEESP*

A startup Stattus4, que há um ano está incubada no Parque Tecnológico de Sorocaba, ficou em terceiro lugar no Prêmio BID-Femsa 2017 (Banco Interamericano de Desenvolvimento com o Fomento Econômico Mexicano), em Buenos Aires, na Argentina, levando para casa o valor de US$ 5.000,00 . A premiação, realizada em 13 e 14 de novembro, reconheceu soluções inovadoras da América Latina e Caribe nas áreas de águas, saneamento e resíduos sólidos.

A Stattus4 desenvolveu um sistema que monitora a rede de abastecimento em tempo real, maximizando as chances de detectar vazamentos de água na rede pública. O Fluid: Sistema de Detecção Automática de Vazamento em Ramais foi o único projeto brasileiro finalista e concorreu com projetos de outras cinco startups do Peru, Chile, Colômbia (dois projetos) e México. 

Atualmente, estados e municípios lutam diariamente para detectar os vazamentos de água na rede pública e diminuir a perda milhões de litros, que impacta diretamente nos recursos naturais e no dinheiro público. O problema é que a busca de vazamentos é feita manualmente, por profissionais altamente especializados, chamados geofonistas. 

“Em outra empresa desenvolvemos um geofone tradicional, aparelho utilizado usualmente para identificar vazamentos. E aí identificamos a dificuldade que é este trabalho e os riscos que o trabalhador sofre como extensas caminhadas entre as casas no sol quente, cachorros etc.”, conta Marília Lara, sócia fundadora da Stattus4. De acordo com o Instituto Trata Brasil, hoje o País perde, em média, 37% da água coletada por vazamentos nos ramais, ou seja, no encanamento entre a rua e as casas.

O projeto brasileiro “Fluid” é um sistema com sensores que mapeiam vazamentos e enviam os dados para um software, permitindo aos técnicos se dirigirem diretamente para as ruas indicadas. A tecnologia desenvolvida pela startup utiliza Inteligência Artificial para analisar os dados. Segundo Lara, o sensor é uma espécie de ouvido biônico, que são conectados nos cavaletes das casas e, por meio da vibração dos encanamentos, detectam os sons que indicam a probabilidade de haver vazamento.

Com isso, a procura por esses vazamentos deixa de ser manual e toda rede de abastecimento passa a ser monitorada em tempo real, maximizando as chances de encontrar vazamentos e evitar o desperdício de água.

No município de Santa Barbara D’Oeste, o Departamento de Água e Esgoto (Daae), registrava 41% de perda de água. Após a Stattus4 ter aplicado o sistema foram detectados dois vazamentos, sendo que após o conserto de apenas um deles, a perda diminuiu para 18%. As cidades de Sorocaba (SP), Votorantim (SP) e de Itabirito (MG) também já utilizam o sistema premiado.

Para desenvolver a tecnologia, a startup contou com uma equipe formada por engenheiros eletrônicos, matemáticos, cientistas de dados, engenheiro da computação e geofonista. "Nosso próximo passo é focar na comercialização do Fluid, que começou este ano, e abrir contatos para fora do Brasil. A dor de perda (da água) é igual em todos os países e a forma de detectar vazamentos é relativamente parecida com a tradicional", externa Lara. 

Incubação
A Hubiz, incubadora do Parque Tecnológico de Sorocaba, oferece apoio para a modelagem da proposta de valor, planejamento de negócios, desenvolvimento tecnológico, estratégica de marketing e vendas, mercado e finanças e difusão da cultura empreendedora.

Em 2016, a Hubiz foi uma das cinco incubadoras brasileiras vencedoras do Prêmio de Incubação e Aceleração de Impacto, promovido pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) e Sebrae. 

*Informações de Os2 Comunicação

 

 

Lido 1154 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda