Logos

GRCS

12/07/2017

Entrevista - Brasil injusto e sem empregos decentes

Lido 1138 vezes

Comentários   

# ENG.MARIO FONTES 23-04-2018 15:36
Senhores,

Diminuindo os salários dos Engenheiros diminuirá o conteúdo tecnológico na força de trabalho dos produtos fabricados no Brasil e obrigará a comprar mais tecnologia geralmente vinda dos países que apoiaram o Golpe EUA e Israel.

Vejo aqui mais um esforço da Guerra Híbrida,movida pelo Capital Internacional e dos aliados rentistas locais, que derrotou o Brasil, e exige o pagamento de tributos vendendo nossa empresas e recursos minerais baratos nos tornando em colônia.

A Austrália o Canadá podem se sustentar com a exportação de minérios e produtos agrícolas pois tem população pequena, porem o Brasil não com 200 Milhões de habitantes,

Urge que nos unamos e lutemos pelo futuro da Engenharia no Brasil independentemen te de ideologias pois é uma questão de sobrevivência.
# Engenheiro CivilJosé Augusto Moraes 07-08-2017 12:56
Muito importante análises sobre as novas leis trabalhistas. Recomendo sua leitura. Abraços.
# Engenheiro eletricistaEmmanuel Britto F. 13-07-2017 11:02
Prezado,
Permita-me discordar de sua opinião pelas seguintes razões:
1) Como não há investimentos no Brasil, nos últimos 3 anos - e é bem provável que não haja nos próximos - de nada adiantam leis que protegem os empregados pois, nesse caso, cada vez mais os empregadores não contratarão;
2) Por experiência própria, trabalho desde 2003 como pessoa jurídica e recebi uma boa remuneração. Em outras palavras: sua remuneração depende muito mais do que seu empregador necessita de você do que o governo pode proporcionar, com a pseudo proteção;
3) O cancelamento da obrigatoriedade de os empregados pagarem o imposto sindical induzirá os sindicatos a ser mais eficientes e mostrar aos empregados que se filiar a eles é um bom negócio. As negociações serão mais coerentes, os sindicalistas deixarão de ser pelegos do governo e precisarão se esforçar mais para angariar associados estabelecendo valores mais realistas para o imposto e não o famigerado valor de equivalente a um dia de trabalho.
4) A nova lei não retira os direitos trabalhistas mas regulamenta coisas que já deveriam ter sido resolvidas a muito tempo, por exemplo, no tocante a férias.
Em resumo, vivemos num país capitalista e por isso, não devemos esperar que o governo funcione como nosso ´´pai´´ e que nos proteja. Precisamos lutar para conquistar o que desejamos mas desde que mereçamos e, por isso, teremos que nos aperfeiçoar, estudar e aumentar nossa produtividade para que o empregador tenha necessidade de nós, e não que nos ´´ dê´´ emprego.
Por fim, os sindicatos precisarão se organizar melhor, atender os desejos de seus associados e lutar pelas respectivas classes, deixando de se acomodar e ficar criando conchavos com os empregadores nas ocasiões das negociações, qque não deverão ser anuais, mas sim, permanentes.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda

art creasp