Logos

GRCS

14/07/2011

Ministério anuncia criação da Sudeco para o Cerrado

 

        Com o objetivo de planejar e organizar o desenvolvimento da região onde boa parte do cerrado se encontra, o governo federal resolveu recriar a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), o que deverá ocorrer oficialmente nesta quinta-feira, dia 14 de julho.

        Essa foi uma das inciativas do Ministério da Integração Nacional para o bioma, divulgadas pelo ministro Fernando Bezerra na sua conferência O cerrado e a integração nacional, proferida nesta terça-feira, na 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que está sendo realizada em Goiânia até sexta-feira (15).

        De acordo com Bezerra, a Sudeco é um instrumento central da estratégia do seu ministério para o planejamento e organização do desenvolvimento do Centro-Oeste. "As metas são superar gargalos de infraestrutura, atuar no sentido de atenuar as diferenças socioeconômicas existentes, alavancar investimentos em inovação tecnológica e em conhecimento, para que se alcance a sustentabilidade e minimize o uso de áreas ainda preservadas", disse.

        Antes, no início de sua palestra, o ministro havia elogiado a escolha do tema central da Reunião Anual da SBPC - Cerrado: água, alimento e energia, pois, de acordo com ele, são esses os desafios centrais com que a humanidade terá de lidar em futuro próximo. "E nesse dilema entre crescimento econômico e sustentabilidade socioambiental, o cerrado - em suas expressões geográfica, geopolítica, econômica, social, ambiental e cultural - terá papel crucial", declarou.

        Segundo Bezerra, o grande desafio nesse sentido é promover a transição do atual modelo de desenvolvimento para outro voltado para o uso intensivo da terra, dentro dos preceitos de sustentabilidade, tendo como base a cobertura permanente do solo, a manutenção e a melhoria dos teores de matéria orgânica áreas agricultáveis e a diversificação das atividades econômicas na propriedade e o respeito às especificidades locais e regionais. "Para tanto, faremos a inserção do Ministério na discussão e implementação de políticas que visem a mudança no padrão de exploração dos recursos naturais e a redução do desmatamento", declarou.

        Para isso, Bezerra garantiu que está aberto ao diálogo com as diferentes áreas de Governo - Ciência e Tecnologia, Transportes, Minas e Energia, Meio Ambiente -, com os Estados e com as organizações da sociedade civil, no sentido do desenvolvimento e utilização de tecnologias intensivas, no setor agropecuário, que mitiguem os impactos negativos dessas atividades no cerrado. "Integração logística, sim, mas com conservação dos recursos naturais do bioma", disse.

        Bezerra aproveitou a sua presença na reunião da SBPC para destacar a importância das contribuições da academia para formulação das políticas públicas. "As sociedades mais desenvolvidas do mundo são exemplos bem sucedidos de forte integração entre a ciência, tecnologia e inovação com o Estado", disse. "Na nossa gestão à frente do Ministério procuraremos sempre prestigiar e buscar o que há de melhor do conhecimento científico para fazer frente aos grandes desafios que enfrentamos e os que estão por vir."

        Para o ministro, o Brasil precisa estimular a geração de massa crítica e formuladora. "Por isso, devemos celebrar até o mês de outubro um acordo de cooperação técnica com a Fundação CAPES com o objetivo de concessão de bolsas de pós-graduação "stricto sensu" nas principais áreas de atuação do Ministério", anunciou. "Entre elas, a prevenção e gestão de riscos e desastres, gestão e manejo de recursos hídricos, irrigação e desenvolvimento regional."

 

(Ascom SBPC)
www.cntu.org.br

 

 

Lido 1493 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda