Logos

GRCS

19/11/2010

Imigrantes: engenharia e meio ambiente caminhando juntos

Avalie este item
(0 votos)

Projeto da pista descendente foi realizado seguindo os padrões ambientais e vencendo o desafio de projetar e construir uma rodovia que atravessasse o Parque Estadual da Serra do Mar.

        Esse foi o tema da palestra ministrada na tarde desta quinta-feira (18), por João Antonio Del Nero, da Figueiredo Ferraz Consultoria e Engenharia de Projetos S.A.
        Em seu discurso, Del Nero fez um apanhado sobre o projeto e o acompanhamento técnico da pista descendente da Imigrantes realizado pela Figueiredo Ferraz. Segundo ele, a segunda pista foi executada entre 1998 e 2002 dentro da legislação ambiental brasileira, diferente da ascendente construída entre 1969 e 1972 e que não teve esse respaldo. 
        Conforme relatou, na época foi criado um conceito novo para minimizar os impactos na natureza. “Foi um imenso desafio de trazer progresso e ao mesmo tempo preservar um patrimônio natural do planeta terra”, enfatizou Del Nero. 
        Para cumprir o desafio de projetar e construir uma rodovia que atravessasse o Parque Estadual da Serra do Mar, sem agredir a natureza, foi feita alteração do traçado original e as obras utilizaram métodos construtivos de viadutos industrializados.
        Foram projetados túneis mais longos e viadutos com vãos maiores com menor número de pilares, reduzindo assim os elementos agressivos ao meio ambiente.
        Outro aspecto relevante foi o aproveitamento da rocha para concretagem dos viadutos, revestimento dos túneis e pavimentação das pistas. Além disso, foi feita toda a captação de águas turvas durante construção, tratamento de esgotos do pessoal da obra e coleta de águas pluviais para evitar poluição de mananciais. “É uma das maiores obras de engenharia rodoviária na América Latina neste século, com investimentos de mais de US$ 352 milhões”, informou Del Nero. 
        Outro ponto favorável da obra foi a recuperação das áreas de intervenção com o replantio de 10 mudas de árvores nativas para cada unidade removida do solo. “Foram feitas inúmeras ações para não agredir o meio ambiente. E o resultado foi a garantia da natureza preservada, obra entregue seis meses antes do prazo contratual, ampliação da capacidade de tráfego da rodovia em 70%”, destacou.
        Inaugurada em 2002, a pista descendente recebeu em 2004 o prêmio internacional “Panamericano de Desenvolvimento Sustentável Engenheiro Luis Wanonni Lander”.

 

foto: Beatriz Arruda

 

 

Lido 1288 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda

art creasp